quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Azia

A azia é frequentemente descrita como um ardor no estômago e está relacionada com o refluxo de ácido do estômago para o esófago, o que vai agredir as paredes do esófago provocando desconforto.

Por norma, a azia está incluída num conjunto de sintomas de uma patologia designada dispepsia: dor na zona do estômago, enfartamento, náuseas, abdómen distendido (“barriga inchada”), etc.

Os alimentos que deve evitar para combater a azia são:
- alimentos fritos e muito ricos em gordura;
- frutas muito ácidas;
- comida muito temperada;
- bebidas alcoólicas;
- bebidas com cafeína – café, cola, chá preto ou verde

É também muito importante a perda de gordura na zona abdominal caso se tenha um perímetro abdominal acima do indicado (mais de 80 cm nas mulheres e mais de 94 cm nos homens). A acumulução de massa gorda na zona abdominal é um factor de risco para as doenças cardiovasculares e pode também aumentar o refluxo gastro-esofágico.

A camomila é uma das plantas que poderá ser utilizada, na forma de infusão, para aliviar a azia e outros sintomas de dispepsia. Esta planta favorece uma boa digestão e tem propriedades analgésicas (acalma a dor), anti-inflamatórias e cicatrizantes (que poderão ajudar na recuperação da parede do esófago).

O chá de funcho também é uma óptima opção.

É importante referir que as infusões e os remédios caseiros são muito úteis quando se trata de uma situação pontual (ex. azia após os exageros de um casamento ou do Natal). Quando os sintomas são frequentes, é importante não se auto-medicar e procurar um médico pois estes sintomas podem ser indícios de gastrite, úlcera, hérnia do hiato ou mesmo de um tumor gástrico.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

O famoso colesterol!

Quais os melhores chás, sumos, batidos e vitaminas contra o colesterol?
Quais os melhores alimentos contra o colesterol?
Que alimentos devem ser evitados?

A hipercolesterolémia corresponde a um nível excessivo de colesterol no sangue. Este excesso não provoca qualquer tipo de sintomas mas favorece o desenvolvimento de aterosclerose (placas de gordura que se acumulam nas paredes das artérias), diminuindo o fluxo de sangue para o coração e aumentando seriamente o risco de sofrer um enfarte agudo do miocárdio ou um acidente vascular cerebral.

A alimentação não é a única causa de hipercolesterolémia pois existem situações em que o próprio organismo produz colesterol em excesso. Mesmo nestes casos, uma alimentação equilibrada é fundamental para não agravar este problema.

Os cuidados alimentares mais importantes para descer os níveis de colesterol total são:

- Cortar radicalmente com os fritos! A fritura aumenta significativamente o valor calórico de qualquer alimento e as altas temperaturas a que as gorduras são sujeitas levam à sua transformação em “gorduras trans”, que aumentam o “mau colesterol” – LDL – e diminuem o “bom colesterol” – HDL;

- Diminuir o consumo de carnes vermelhas e de ovos;

- Ingerir peixes ricos em ómega-3: salmão, sardinha, atum, truta

- Optar por leites e iogurtes magros;

- Aumentar a ingestão de fibra (diminuem a absorção de gorduras a nível intestinal) – sopa, legumes, saladas, fruta, leguminosas e cereais integrais.


Além destes cuidados alimentares básicos, os últimos estudos científicos têm demonstrado que alguns alimentos em específico podem ser vantajosos no combate ao colesterol, nomeadamente:

- a soja: a diminuição da ingestão de proteína de origem animal, substituindo-a por proteínas de soja pode ser muito útil na diminuição do colesterol LDL. As saponinas existentes na soja diminuem a absorção intestinal de colesterol e aumentam a sua excreção através dos ácidos biliares.

- a aveia: alguns estudos demonstram que o farelo de aveia pode diminuir a síntese hepática de colesterol.


A nível de chás, o chá verde pode ser muito útil na redução do colesterol pois contém taninos que diminuem as taxas de colesterol LDL e fortalecem as artérias e veias.

O chá de alcachofra também é muito interessante pois contém cinarina, um composto com propriedades coleréticas (estimula a produção de bílis), hepatoprotectoras (protege o fígado) e hipocolesterolemiantes (baixa os níveis de colesterol).